Usar ou não usar? Eis a questão

Desde o mês passado, máscaras não são mais obrigatórias em ambientes abertos do DF e a decisão divide opiniões. 

Centro de Taguatinga

Por: Raphaela Peixoto

Há um mês,  o GDF liberou o uso de máscaras em espaços abertos. A medida foi embasada no avanço da vacinação, números de leitos e índice de transmissão. A decisão está tendo pouca adesão em lugares mais movimentados. Entretanto, em ambientes usados para a atividade física percebe-se um número maior de pessoas sem o acessório de proteção contra Covid-19. Em ambos os espaços, nota-se também um número relevante de pessoas usando de forma incorreta o equipamento.

Para o  professor do mestrado em Ciências Genômicas e Biotecnologia da Universidade Católica de Brasília (UCB),   Octavio Franco, foi uma decisão precipitada. “ Acho que não chegamos a um nível de vacinação que dará uma proteção alta suficiente para não utilizarmos a máscara ainda, poderíamos esperar um pouco mais. Na minha perspectiva, com  70% a 80% da população vacinada daria para nós sairmos sem máscaras com pouco risco de contaminação”, afirma. 

A decisão não é consenso entre a população do DF 

 De acordo com a bancária, Adriana de Sousa, a liberação “só legislou uma coisa que já estava acontecendo muito,  porque quase ninguém usava a máscara em ambiente aberto. Agora vai depender de cada um decidir se vai ou não usar”. Sousa afirma que continuará a usar o acessório.  “Se eu tivesse que ficar sem máscara eu também não ficaria paranóica, preocupada. Mas se eu tenho e  posso usar, eu não vejo motivos para não utilizá-la,  já me acostumei”, acrescenta.

 De acordo com a bancária, Adriana de Sousa, a liberação “só legislou uma coisa que já estava acontecendo muito,  porque quase ninguém usava a máscara em ambiente aberto. Agora vai depender de cada um decidir se vai ou não usar”. Sousa afirma que continuará a usar o acessório.  “Se eu tivesse que ficar sem máscara eu também não ficaria paranóica, preocupada. Mas se eu tenho e  posso usar, eu não vejo motivos para não utilizá-la,  já me acostumei”, acrescenta. 

Fabrício Machado, autônomo, 45, concorda com a flexibilização. “Avançamos bastante na vacinação e me sinto seguro em não usar as máscaras em locais abertos. Passei pela experiência na minha própria casa, meus pais contraíram a doença e ficaram na UTI, mas acredito que não teremos outras ondas aqui no país. Guardo no carro quando sei que não vou entrar em locais fechados e quando vou entrar, sei que é errado, mas coloco a mesma no meu braço”, conta. 

Sobre como armazenar a máscara, Franco explica que  “o ideal seria trocar toda vez que fosse retirada. Porém, mantendo ela sempre envolta em algum plástico ou em papel, diminuirá o pouco risco de contaminação pela máscara”.”

Onde ainda tem que se usar a máscara no DF?

O uso de máscaras  permanece obrigatório, exceto para pessoas com deficiência intelectual ou transtornos psicossociais, em:

  • Todos os espaços públicos fechados
  • Equipamentos de transporte público coletivo
  • Estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços
  • Áreas de uso comum dos condomínios residenciais e comerciais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *