Exposição “Arte Urbana no Irã” é atração principal do Museu de Arte de Brasília

As 28 fotografias produzidas pela fotógrafa brasileira Maristela Acquaviva marcam os 7 meses de reabertura do local após 14 anos fechado

Imagem: Maria Cecilia Lima

Por Maria Cecilia Lima

O Museu de Arte de Brasília (MAB) completa 7 meses de reabertura após 14 anos fechado. Atualmente, a exposição “Arte Urbana no Irã” é a principal atração. A exposição é promovida pela Embaixada Iraniana no Brasil e reúne 28 fotografias produzidas pela fotógrafa brasileira Maristela Acquaviva em 2018, quando esteve em Teerã, capital do Irã. As obras apresentam um lado iraniano desconhecido do público brasileiro. 

Alguns dos temas das fotografias são esculturas históricas do Irã, ferramentas usadas quando as pessoas não tinham acesso à tecnologia e ideologias islâmico-iranianas. Outras representam “street art”, ou seja, arte de rua, como grafites, customização de escadaria pública com ladrilhos e ressignificação de técnicas milenares.

A exposição surpreende as pessoas que visitam o museu. “Eu não imaginava que houvesse tanta arte na rua lá (no Irã)”, afirmou Felipe Luduvice, um dos visitantes. O gerente do museu, Marcelo Jorge, afirmou ficar impressionado. “Eu insisti para fazermos essa exposição no museu. Ela tem sido um sucesso até agora porque as pessoas ficam surpresas em descobrir o que tem lá em Teerã.”

A autora da exposição foi convidada pela Embaixada do Brasil no Irã para realizar o trabalho e passou dez dias no país em 2018 com esse objetivo. Esta é a segunda iniciativa de cooperação cultural entre Irã e Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal durante a atual gestão. A primeira aconteceu em 2019, quando o grupo musical iraniano Navaye Mehr Band se apresentou para estudantes de escolas públicas do DF no Centro Cultural Três Poderes e no Complexo Cultural Samambaia.

Maria Rosa costumava frequentar o museu antes de seu fechamento. Com a reabertura, ela não perdeu a oportunidade de voltar ao local. “Foi ótimo agora ter reaberto e com os trabalhos de Brasília e do Brasil. O espaço aqui é muito bom. Eu gostaria de vir sempre”, contou.

Marcelo Jorge convida a todos para visitar o Museu de Arte de Brasília. “Ele (o museu) passou 14 anos fechado. Foi investido muito tempo e muito dinheiro nisso. O museu está lindo. Tem os artistas mais importantes do país, a coleção é riquíssima. É imperdível”.

O Museu de Arte de Brasília (MAB) está situado às margens do Lago Paranoá, no Setor de Hotéis e Turismo Norte, entre a Concha Acústica e o Palácio da Alvorada. A estrutura do local é composta por três pavimentos: térreo, pavimento superior e subsolo, com jardins, mostras permanentes de esculturas, pinturas, gravuras, desenhos, fotografias e instalações.

O acervo é formado por obras de arte moderna e contemporânea, que vão da década de 1950 ao ano de 2001, caracterizadas pela diversidade de técnicas e materiais. A visitação do museu e da exposição são gratuitas. O local está aberto de 9h às 21h todos os dias, com exceção de terças-feiras. Não é necessário agendamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *