Conheça a Madre Teresa Deli, “a hamburgueria mais pobre do mundo.”

A casa localizada em Taguatinga Sul tem chamado a atenção por meio do seu conceito de culinária artesanal e também pela temática do ambiente.

Por Júlia Rezende

A Madre Teresa Deli recebeu este nome, graças à devoção de seu proprietário, Daniel Larsan. Madre Teresa de Calcutá foi uma religiosa católica que ficou conhecida por suas ações de caridade em benefício dos pobres. Ela recebeu em 1979, um Nobel da Paz, e em 2016, o título de Santa.

Logo na fachada é possível associar as cores azul e branco às vestes da Madre, dispostas em três listras azuis na parede – duas mais estreitas e uma larga embaixo. No vidro da porta de entrada, há um ícone de hamburgueria que indica que o horário de funcionamento, que é de terça a sábado, das 18h30 às 22h. Apesar de também oferecer lugares no lado externo, é muito importante chegar cedo, pois pode ser que haja fila para entrar.

Fachada da Madre Teresa Deli. Imagem da internet.

  

Fachada Madre Teresa Deli. Imagem da internet.

A música ambiente é composta por uma playlist de canto gregoriano, um gênero musical adotado pela Igreja Católica como canto oficial, que traz um caráter introspectivo e meditativo, reforçando ainda mais a fé católica.

O local rústico e industrial é cheio de significados, possui móveis de segunda mão, plantas espalhadas por todo o espaço, desenhos feitos por crianças, um altar, imagens e frases de Madre Teresa e outros santos. No piso, um carpete vermelho representa a realeza, pois era assim que Teresa tratava os pobres, como se eles fossem reis. Os escombros, ou seja a  tubulação aparente, remetem à pobreza. Dentro da hamburgueria também há um ônibus, que lembra o início da trajetória da Madre, com algumas mesas disponíveis.

A ideia de simplicidade também se encontra nos pratos e na forma como são servidos, sem luxo mas com muito sabor. Além disso, o cardápio é bastante autêntico, pois conta com uma variedade de ingredientes produzidos artesanalmente no local: o pastrami, uma deliciosa carne feita do peito bovino que leva 18 dias para ficar pronto, sour cream, american cheese, picles e catchup.

De entrada há duas opções: a batata clássica (R$ 10) e a queridinha Tagua York Fries (R$ 25), uma batata preparada com fatias de pastrami, cheddar, sour cream, chimichurri e limão.

A famosa Tagua York Fries, prato de entrada.

A famosa Tagua York Fries, prato de entrada.

Atualmente, os hambúrgueres de maior destaque são o Santa Cruz (R$ 30) e o Chesterton (R$ 33). O primeiro faz referência a São José de Anchieta e leva bife Angus 180g, cheddar, bacon assado com açúcar mascavo, e melado de cana no pão pretzel. Em seguida, o Chesterton em homenagem ao filósofo G K Chesterton, é composto por pão prime, bife Angus 180g, american cheese, fatias de pastrami, cebola, picles e sour cream.

Hambúrguer Chesterton

A lista continua com os sanduíches Ortega (R$ 28) e Deli (25,00). E, por fim, a sobremesa que é uma banoffee desconstruída, toda dourada, com uma farofa de biscoito crocante.

Daniel Larsan, proprietário da Madre Teresa Deli.
Ônibus dentro da hamburgueria.

Serviço

QSD 53, lote 2 – Próximo à estação de metrô Taguatinga Sul. De terça a sábado, das 18h30 às 22h. Delivery pelo iFood e take out pelo WhatsApp no número (61) 99928-6414.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *