Campanha “Sangue é Vida” incentiva servidores da economia a doarem sangue

A campanha acontece até o dia 26 de novembro  com o intuito de aumentar os estoques de sangue

Foto: Acacio Pinheiro/ Agência Brasília

Por Júlia Rezende

A campanha “Sangue é Vida” está na terceira edição e acontece até o dia 26 de novembro. Esse projeto é uma iniciativa da Secretaria Executiva de Valorização e Qualidade de Vida (Sequali) e Secretaria de Economia, com o intuito de incentivar a doação de sangue por parte dos servidores do Governo do Distrito Federal (GDF). 

O programa é uma parceria com a Fundação Hemocentro de Brasília, e as edições anteriores aconteceram entre os meses de abril e julho deste ano. A ação é uma maneira de aumentar os estoques de sangue que foram prejudicados pela pandemia da Covid-19.

Segundo informações do Hemocentro, há alguns pré-requisitos para fazer a doação: ter entre 16 e 69 anos de idade; pesar mais de 51 kg e estar em bom estado de saúde; e, se caso a pessoa tiver passado por procedimento estético, cirurgia ou ficou doente e fez uso de medicamentos recentemente, é bom consultar o site do Hemocentro para saber se está apta a doar.

É recomendado que o candidato esteja bem alimentado, evitando alimentos gordurosos e derivados do leite pelo menos 3 horas antes da doação. Também é contraindicado o consumo de bebidas alcoólicas 12 horas antes da doação. Além disso, é obrigatório apresentar documento de identificação oficial com foto, em bom estado de conservação e dentro do prazo de validade.

O Hemocentro de Brasília tem um estoque estratégico que pode abastecer toda a rede pública do Distrito Federal e hospitais conveniados de dois a sete dias, dependendo do hemocomponente (hemácia, plasma ou plaqueta), se não houver qualquer doação de sangue no período. 

“No momento, os estoques de ‘O positivo’ dos grupos sanguíneos negativos estão em níveis baixos, sendo que o ‘B negativo’ está em nível crítico”, afirma a chefe da Subseção de Triagem Clínica da Fundação Hemocentro de Brasília, Hysnara Lima.

Maria Júlia Grandi, doadora de sangue no Hemocentro de Brasília /Crédito: Arquivo Pessoal

A estudante de psicologia, Maria Júlia Grandi, doou sangue recentemente pela primeira vez e relata a sua experiência: “Eu me senti super confortável, principalmente na parte da coleta que estava ansiosa e o enfermeiro foi super atencioso comigo. Todos que trabalham no hemocentro são super preparados e profissionais, me senti acolhida e já quero voltar”, relata. 

A jovem de 24 anos conta emocionada e incentiva a doação. “Se eu mesmo com medo e ansiosa consegui doar, todos conseguem”, afirma.
O atendimento é de segunda a sábado, das 7h15 às 18h. Lembrando que, como medida de precaução, durante a pandemia de Coronavírus, a doação de sangue deve ser agendada pelo site http://agenda.df.gov.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *