Estoques de banco de leites estão em queda

Secretária de Saúde alerta para baixa reserva e pede doações 

Crédito: Breno Esaki

Os bancos de leite materno do Distrito Federal estão em queda a dois meses, segundo a Secretária de Saúde do Distrito Federal (SES-DF). A demanda por leite materno não parou durante a pandemia do coronavírus mas as doações diminuíram. O Banco de Leite Humano do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) é a unidade que possui maior demanda, pois tem o maior número de leitos de UTIs neonatais na rede.

Há muitos bebês que dependem do leite materno fornecido pelo governo, por diferentes motivos que impossibilitam a mãe de amamentar, como problemas na tireoide ou distúrbios hormonais e para ajudar. Outras mães, que produzem leite, podem se tornar doadoras e contribuir para o Banco de Leite Humano do DF. 

As doações podem ser feitas por meio de projetos como o Programa de Aleitamento Materno que funciona em parceria com o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) e a Secretaria de Saúde do DF. 

De acordo com o CBMDF, para ser uma doadora basta ligar no telefone 160, escolher a opção 4 e fazer o seu cadastro. O mesmo fará a coleta e o transporte de leite humano doador. As coletas são realizadas de segunda à sexta-feira. 

Aos militares do CBMDF, compete realizar visitas domiciliares com o objetivo de coletar e transportar o leite humano em todo DF e entorno, além de dar orientações a respeito de amamentação. Aos funcionários da Secretaria de Saúde, compete o armazenamento, processamento e distribuição do leite humano para as crianças internadas nos hospitais do DF.

Orientações e esclarecimentos sobre a amamentação e doação de leite materno estão sendo oferecidos por telefone, por mensagem de WhatsApp, e-mail e até mesmo por vídeo chamada. Confira a lista de contatos:

Foto/Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *