Secretário de Saúde do DF é preso e cúpula é afastada

Operação Falso Negativo investiga fraude na compra de testes para a Covid-19

Nesta terça-feira, 25, o secretário de saúde do DF, Francisco Araújo, foi preso preventivamente referente a operação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). A operação, que leva o nome de ‘’Falso Negativo’’, investiga o superfaturamento de R$30 milhões na compra de testes IgG/IgM para Coronavírus pelo GDF.

Os promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a Procuradoria-geral de Justiça do DF, afirmam que Araújo utilizava de recursos de agilidade na compra de produtos e serviços do combate ao Coronavírus para aprovar, sem licitação, empresas parceiras em poucos minutos. Uma das empresas apontadas nessa contratação é a Luna Park Importação, Exportação e Comércio Atacadista de Brinquedos Temáticos.

Nessa segunda fase da Operação, além da prisão do secretário decretada pelo desembargador Humberto Adjuto Ulhôa (TJDFT), mais seis mandados de prisão e outros 44 de busca e apreensão, são cumpridos em Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Mato Grosso e Rio Grande do Sul. Os investigadores dizem que o prejuízo aos cofres públicos chega a R$18 milhões.

Em nota, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, lamenta “a desnecessária operação ocorrida nesta manhã e que culminou na prisão preventiva da cúpula da Secretaria de Saúde”.  Resultado da prisão, o governador afastou a cúpula de saúde da cidade e através de uma edição extra do Diário Oficial, designou Osnei Okumoto como substituto no comando da Secretaria de Saúde do DF.

Além de afastados do cargo, também são investigados: Iohan Andrade Struck, subsecretário de Administração Geral da Secretaria de Saúde do DF; Ramon Santana Azevedo, assessor especial da Secretaria de Saúde; Ricardo Tavares Mendes, ex-secretária adjunto de Assistência à Saúde; Eduardo Hage Carmo, subsecretário de Vigilância à Saúde; Eduardo Seara Machado Pojo do Rego, secretário adjunto de Gestão em Saúde e Jorge Antônio Chamon Júnior, diretor do Laboratório Central (Lacen);

Até o momento da publicação desta matéria, a assessoria do ex-secretário de Saúde, Francisco Araújo, não se pronunciou para o Notícias do Quadrado.

Veja também:

Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *