Cobra naja será transferida para o Instituto Butantan

Foto: Ivan Mattos/Zoológico de Brasília

O Zoológico de Brasília não permanecerá com o exemplar 

A cobra naja, que ficou famosa após picar Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkuhla, não fará parte do plantel oficial do Zoológico de Brasília. A espécie será transferida ainda nesta terça-feira, 11, para o Instituto Butantan. Além dela outros exemplares irão para São Paulo, como a víbora-verde-de-voguel. 

O destino final dos animais foi definida pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e um dos fatores para tal decisão, foi o interesse demonstrado pelo próprio Instituto. Considerado o principal produtor de imunobiológicos do Brasil, o Butantan ainda é responsável por grande parte da produção de soros hiperimunes e pela produção nacional de antígenos vacinais, que compõem as vacinas utilizadas no PNI (Programa Nacional de Imunizações) do Ministério da Saúde.

O principal objetivo da Fundação Jardim Zoológico de Brasília (FJZB), é preservar a fauna brasileira. Bem como amparar animais ameaçados de extinção, nacional e internacionalmente, que precisam de cuidados humanos para permanecerem vivos. Nesse caso, a naja não se enquadra nesses requisitos.

Ainda que moderno, o zoológico não tem como conceito a exibição de animais. Assim explica o superintendente substituto de conservação e pesquisa do local, Filipe Reis “nós abandonamos o conceito de apenas exibir animais que as pessoas querem ver. Nosso objetivo aqui é muito maior. Temos que priorizar os animais que dependem dos nossos esforços para que não desapareçam para sempre da natureza, por meio da reprodução em cativeiro, da pesquisa científica e da educação ambiental perante a sociedade”.

Das espécies capturadas pelo Batalhão de Polícia Ambiental, o zoológico brasiliense demonstrou interesse em seis cobras: duas cobras-papagaio, duas jibóias-de-madagascar, uma jararacuçu e uma salamanta, espécies que são encontradas em território nacional. Para a permanência desses animais no Zoo, é feito um estudo com base no Plano de Populações, documento interno elaborado com o propósito de conservação, educação e pesquisa.

Fonte: FJZB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *