Bolsonaro volta a ofender jornalistas: “Bundões”

O presidente atacou profissionais da imprensa em evento no Palácio da Alvorada

Foto: Ueslei Marcelino / REUTERS

Depois dos insultos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a um jornalista no último domingo, 23, o chefe da República voltou a atacar a classe dos trabalhadores em um evento no Palácio do Planalto nesta segunda-feira, 24. 

Durante pronunciamento, Bolsonaro referiu-se à classe de repórteres como “bundões”. “Sempre fui atleta das Forças Armadas. Aquela história de atleta, que a imprensa gosta de tratar com deboche. Mas quando pega num bundão de vocês, a chance de sobreviver é bem menor. Só sabe fazer maldade e usar a caneta com maldade, em grande parte”, disse o presidente, referindo-se à Covid-19. 

Entenda o caso 

No domingo, 23 de agosto, durante uma visita à Catedral Metropolitana de Brasília, Jair Bolsonaro (sem partido) foi questionado por um repórter do jornal O Globo sobre os depósitos no valor de R$89 mil realizados pelo ex-assessor de um de seus filhos, Fabrício Queiroz, na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro. A resposta do presidente para a repórter foi: “Minha vontade é encher tua boca de porrada”.

Defesa de Maia

Após a fala do presidente, o chefe da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (Democratas), em entrevista concedida à Rádio Gaúcha nesta segunda-feira, 24, defendeu a liberdade de expressão e o direito dos jornalistas de perguntarem.

Em conversa com comentaristas da Rádio sulista, Maia declarou que, por mais desconfortável que seja a pergunta, reações como a de Bolsonaro são inapropriadas. “(…)  muitas vezes, a pergunta que vocês fazem a gente não gosta. É da natureza humana. Mas não cabe uma reação desproporcional como a do presidente. (…) Uma frase como essa, vinda do presidente, gera um impacto negativo internamente e externamente”  afirmou.

Processo de Impeachment 

Ainda na entrevista para a Rádio, Rodrigo Maia classificou o ocorrido como “ruim” e “desproporcional” à ameaça de agressão e acrescentou ainda que os depósitos não tem relação com processo de impeachment. “Este caso de ontem, apesar da perplexidade que causou, não tem nenhuma relação com processo de impeachment. Processo de impeachment tem que ser crime de responsabilidade ocorrido durante o mandato”, disse. 

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *