EJA é tema de debate na Câmara Legislativa do DF

A audiência discutiu o desmonte do programa e suas consequências para população 

Foto: Reprodução site Nova Escola

Nesta segunda-feira (4/11), a Educação para Jovens e adultos (EJA) foi tema da reunião na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). O objetivo é debater o desmonte do EJA e a sua valorização na capital e no país.

Proposta pelo deputado do PT, Chico Vigilante, o evento aconteceu no plenário da CLDF às 19h. Vigilante defende que a educação precisa ser fortalecida e discutida, com a intenção de assegurar a execução de políticas públicas, que estão prescritas no Plano Distrital de Ensino e no Plano Nacional de Educação.

De acordo com dados, do ano de 2018, da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), cerca de cem mil pessoas, acima dos 25 anos, ainda não terminou o processo de escolarização na Educação Básica. O Sindicato de Professores do DF declarou que “é necessário e urgente, o cumprimento e a execução das metas (8,9,10,11) que estão nos Planos de Educação, a nível local e nacional”.

Programa voltado para quem ainda não completou os estudos no período correto, o EJA é uma modalidade de ensino que abrange toda educação básica. O aluno ao invés de refazer todas as séries cursa apenas aquelas matérias em que reprovou na última instituição de ensino que estudou, assim, a cada seis meses, no EJA, um ano letivo é concluído.

O Dep. Vigilante destacou ainda a falta de professores especialistas e a alta taxa de evasão. Em entrevista à Câmara, ressaltou “que a educação deve ser entendida como uma prática libertadora. Ela tem o papel de reconstruir a sociedade, por meio da homogeneização das desigualdades, formando indivíduos críticos, conscientes e estimulados para o desenvolvimento cognitivo e socioeconômico”.

Por: Nicoly Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *