Professores da rede pública do DF terão tratamento para a Síndrome de Burnout

Os docentes são os mais afetados com o transtorno

O deputado distrital Robério Negreiros (PSD) teve um Projeto de Lei (PL) aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) nesta terça-feira (08). De acordo com o PL nº 134/2019, serão determinadas diretrizes para o tratamento da Síndrome de Burnout em professores da rede pública do Distrito Federal. 

O transtorno é caracterizado como um tipo de estresse, principalmente em relação ao trabalho, associado a pressões psicológicas. Todos esses sintomas juntos causam frustrações emocionais e, consequentemente, sintomas psicossomáticos, como insônia, úlceras, dores de cabeça e hipertensão, além de maior propensão ao alcoolismo. 

Há maior prevalência da doença em professores, resultado de vários fatores de estresse psicossociais relacionados à ocupação, como a carga excessiva de trabalho e as relações pessoais desenvolvidas dentro da escola. Por isso, o projeto de Negreiros busca prevenir e diminuir casos da síndrome através de tratamento médico especializado. 

A proposta estabelece que seja feita uma avaliação médica estendida a todos os educadores da rede pública, além de disponibilizar o acompanhamento de possíveis portadores por uma equipe multidisciplinar, formada por médicos, psiquiatras, psicólogos e assistentes sociais. 

Além disso, é estipulada a criação e a divulgação de campanhas preventivas, que alertem sobre as causas e sintomas do transtorno, e o fomento a pesquisas e estudos sobre como promover melhor saúde para educadores. Porém, de antemão, afirmam-se que melhoras nas condições de trabalho – seja nas relações entre alunos, professores, gestores e comunidade escolar – são as melhores formas de prevenção da doença.  

*Com informações da Câmara Legislativa

Por Mariana Albernaz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *