Projeto “Como anda meu ônibus” permitirá avaliar a qualidade do transporte público no DF

População de Brasília poderá analisar o tempo de espera, segurança e qualidade das paradas.

Foto: Onibusão

Elaborado na quarta-feira (21), a campanha “Como anda meu ônibus” criado pelo Ministério Público do DF (MPDFT) junto com a organização não governamental Instituto de Fiscalização e Controle (IFC), tem o objetivo de ouvir depoimentos da população do DF em relação à qualidade dos ônibus.

O questionário tem o intuito de promover uma análise sobre o tempo de espera, segurança e qualidade das paradas em Brasília. A partir das informações obtidas, a Secretaria de Mobilidade (Semob) promete fazer melhorias no serviço facilitando a vida do cidadão. 

Os habitantes do DF poderão participar do questionário até dia 21 de agosto de 2020.

Entre as perguntas, estão:

  • Quanto tempo, em média, você espera na parada até pegar seu ônibus?
  • Sensação de segurança contra roubos, furtos e agressões no caminho para os pontos de ônibus.
  • Proteção contra a exposição ao sol e à chuva na parada de ônibus.
  • Iluminação pública nas paradas de ônibus.
  • Facilidade de fazer conexões, entre linhas, para chegar ao destino.
  • Distância do local onde mora até a parada mais próxima?

“Tive um problema com o cobrador de um ônibus recentemente, que foi extremamente grosseiro comigo quando fui passar o cartão-estudantil na catraca. Como meu cartão estava dentro da carteira, eu sempre o aproximo ao leitor e ele sempre lê, mesmo estando dentro da carteira. O cobrador disse que não tinha ‘bola-de-cristal’ para adivinhar se meu cartão estava mesmo dentro da carteira, e não acionou o botão que dá acesso à catraca para que eu passasse o cartão. Com extrema ignorância, pediu pra que eu tirasse o cartão de dentro da carteira e mostrasse a ele. Por fim, quando terminei a viagem e cheguei a minha casa, liguei para o telefone da ouvidoria (162) e reclamei sobre o ocorrido”, conta um estudante sobre sua experiência nos transportes públicos do DF, ontem (21).

Por Gabryel Jackson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *