No Gama, 10 famílias são obrigadas a deixar suas casas por risco de desabamento

Há cerca de uma semana, rachaduras começaram a aparecer nos imóveis, e algumas paredes ficaram tortas. Defesa Civil e Bombeiros estão no local. 

O risco de desabamento em cinco imóveis da Quadra 13 do Setor Oeste do Gama assustou moradores e comerciantes da região. Há cerca de uma semana os imóveis apresentaram rachaduras, e algumas paredes começaram a ficar tortas. Na manhã desta segunda-feira (26), 10 famílias precisaram abandonar suas casas a pedido do Corpo de Bombeiros e de integrantes da Defesa Civil. Alguns moradores já encontraram um abrigo provisório para ficar até o resultado do parecer da Defesa Civil. Outros permanecem no local preocupados com o que pode acontecer nas próximas horas.

A empresária Nair Cruz (70), é dona de um prédio onde funciona um comércio, uma igreja e três apartamentos alugados. Assim que soube do risco de desabamento, ela correu para o local. Como mora próximo, no Setor Gráfico do Gama, chegou a tempo de conversar com os bombeiros e receber informações sobre o que pode acontecer com os imóveis.

Ao mesmo tempo que fico preocupada, fico aliviada por não ter acontecido nada de grave e ninguém ter se ferido. Eu dependo do dinheiro dos aluguéis, mas saber que os inquilinos estão bem me deixa mais tranquila. Agora é esperar o resultado do laudo“.

Explica Nair

O tenente do Corpo de Bombeiros, Reginaldo Machado, contou que uma das edificações já foi interditada há algum tempo atrás, mas como não apresentou riscos para os moradores eles puderam continuar no imóvel. “Por enquanto, vamos manter o local isolado e, assim que a resposta (do engenheiro da Defesa Civil) sair, daremos uma resposta aos moradores. Mas os riscos são grandes. Não de tudo desabar, mas a situação de alguns imóveis é crítica“, afirmou.

Por Raquel Vieira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *