Ibaneis Rocha ignora votação nas escolas e exonera Rafael Parente, ex-secretário de Educação do DF

“No contexto atual de ameaça a democracia é algo que eu como educador pare para pensar onde está o limite” diz Parente em entrevista à CBN.

Foto: Agência Brasília

Rafael Parente soube através da imprensa sua exoneração do cargo de Secretário de Educação do Distrito Federal. Segundo o ex-secretário, a surpresa maior foi o fato de o Governo Ibaneis ignorar a votação nas escolas que recusaram a gestão compartilhada com a Polícia Militar.

Em resposta, Parente se pronunciou no Twitter na segunda-feira (19) às 22h34, agradecendo o Governador Ibaneis Rocha (MDB) por exonerá-lo do cargo e afirmou que “não voltaria atrás”. Leia:

Em seu lugar, o secretário do Trabalho, João Pedro Ferraz dos Passos, assumirá a secretaria de Educação. Tanto a exoneração, como a nomeação do cargo será publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Todas as oito unidades escolares que passaram por votação, estão em funcionamento com o modelo de gestão compartilhada com a Polícia Militar. Apenas duas rejeitaram o modelo (CEF 407 de Samambaia e Gisno, Asa Norte).

Em resposta ao G1, o Governador Ibaneis disse que irá executar o modelo “de qualquer jeito” em escolas que não apoiam a gestão compartilhada e “quem votou contra foi justamente a parcela que não quer o bem das escolas”. O governador finalizou o discurso com “quem achar ruim que vá à Justiça”.

O GDF propõe que a responsabilidade dos professores, diretores e orientadores são relacionadas à parte pedagógica. No que tange a segurança, fica por conta da Polícia Militar.

Por Gabryel Jackson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *